Cinema se nega a projetar “A Bela e a Fera” por conteúdo homossexual

Os donos do ‘Henagar Drive-in Theatre’, um cinema em que as pessoas não precisam sair do carro em Alabama (Estados Unidos), anunciaram que não irão projetar “A Bela e a Fera” por conter cenas homossexuais.

Em um comunicado publicado em sua página no Facebook, o dono do cinema assinalou: “É com grade pesar que tenho que dizer aos nossos clientes que não projetaremos A Bela e a Fera em Henagar Drive In quando chegar”.

“Quando as companhias continuamente impõem seus pontos de vista sobre nós, precisamos tomar uma posição”.

A estreia internacional de “A Bela e a Fera” está programada para o dia 17 de março deste ano.

Após a publicação, a página de Henagar Drive-in Theatre desapareceu da rede social, embora se desconheça se foi uma sanção do Facebook ou uma decisão dos donos do cinema. Publicado originalmente na noite de 2 de março, até a manhã do dia seguinte, tinha sode compartilhado mais de 600 vezes e tinha mais de 500 comentários, entre críticas e mensagens de apoio.

No começo de março, o diretor de “A Bela e a Fera”, Bill Condon – abertamente homossexual –, assegurou à revista ‘Attitude’ que LeFou, o companheiro do vilão Gastão, protagonizará uma cena homossexual.

“LeFou é uma pessoa que em um dia quer ser Gastão e, em outro, quer beijar Gastão”, disse.

Em seu post no Facebook, o dono de Henagar Drive-in Theatre assinalou que “todos fazemos escolhas e estou fazendo a minha”.

“Para aqueles que não sabem, A Bela e a Fera está ‘estreando’ seu primeiro personagem homossexual. O produtor também diz que no final do filme ‘haverá uma surpresa para os casais homossexuais’”.

“Se não podemos levar nossa neta de 11 anos e nosso neto de 8 anos para ver um filme, não temos nada que fazer assistindo-o”, expressou.

Para o dono do cinema, “se não posso me sentar durante um filme com Deu ou Jesus sentado ao meu lado, então, não tenha nada que fazer exibindo-o”.

“Sei que haverá alguns que não estarão de acordo com esta decisão. Tudo bem”, assinalou.

Entretanto, indicou que “somos primeiro e antes de tudo cristãos. Não vamos ceder no que a Bíblia ensina”.

“Continuaremos exibindo filmes orientados à família, para que se sintam livres para vir ver um filme sem se preocupar com sexo, nudez, homossexualidade e linguagem baixa. Obrigado por seu apoio”, finalizou.

Fonte: ACI Digital

About The Author

Criado em 2017, o site Filhos de Deus busca manter o católico informado sobre a maior instituição de caridade do mundo. Colunista e editor do site desde a sua criação.